voltei a sentir uma certa angústia que já tinha em Porto Alegre algumas vezes. é difícil explicar, especialmente para a possibilidade de leituras de gênero. o caso é que algumas vezes canso e gostaria de ter um espaço protegido para minhas fragilidades. algumas vezes eu preciso sentir que há alguém mais forte que eu, preciso ser indecisa, fraca e dependente. e para isso preciso poder entregar minhas costas a um abraço forte. um abraço que dispense a existência do resto do mundo por um instante, justo o suficiente para caber apenas a mim e meu mundo, um abraço que faça todo o resto ser menor e sem importância, por uma noite inteira ao menos.

a saudade mais doída que tenho é de dormir em concha, sob um abraço do qual não era possível escapar. não é exatamente do dono desse abraço que sinto falta – é perigoso endereçar a saudade quando se está absolutamente sozinha –, mas da sensação de proteção em ser abraçada dessa forma. pertencimento e proteção.

tenho medo de quando me questiono por que eu não sou uma dessas mulheres simples e tranqüilas, cujo coração navega em apenas uma direção. eu não quero ser todo o tempo moderna, independente, forte e decidida. tenho medo de desaprender a entrega irrestrita. tenho medo quando me pergunto o que tenho feito para impedir que alguém chegue mais perto do meu coração, por que talvez as respostas que me habitam sejam duras demais.

=.=.=.=.=.=.=.=.=.=.=

Damien Rice conseguiu capturar o romance que eu gostaria de ter neste momento, o que me deixa absolutamente vazia de poesia. eu não poderia fazer nada mais acertado. numa tradução apressada, é algo mais ou menos assim

(Delicate)

nós deveríamos nos beijar
quando estamos sozinhos
quando ninguém está vendo
nós devíamos ir para casa

nós deveríamos escapulir
quando não há ninguém por perto
não é que estejamos assustados
é apenas porque é delicado

então por que colocar minha dor
nas palavras que você empresta
das únicas coisas que você conhece?
por que cantar Aleluia
se isto não significa nada para você?
por que cantar comigo…?

nós deveríamos viver
como nunca antes
quando não há o mais o que dar
como pedir algo mais?

nós deveríamos fazer amor
em algum lugar secreto
e eu olharia seu rosto
isto é delicado

(http://www.warnerbrosrecords.com/damienrice)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s