Sobre estar em uma encruzilhada

a vida tem sido generosa comigo, mas nunca deixou de cobrar um bom preço por isso. em geral, o preço é uma certa dose de cansaço e angústia existencial. eu sempre pus esse preço na balança ao lado da satisfação interna, aquela pequena chama de alegria por estar fazendo algo que vale a pena de acordo com meus valores, crenças e desejos. toda vez que a balança se equilibra, eu me encontro em uma encruzilhada. iguais partes de angústia existencial e satistação interna são uma estagnação terrível. não é nada, nem suficientemente bom, nem excruciantemente ruim.

muitas pessoas sensatas me diriam que equilíbrio é bom, mas finalmente entendi que equilíbrio, as duas metades da balança posicionadas exatamente no mesmo ponto, é estagnação. e com estagnação não crescemos. não, eu não preciso de equilíbrio, eu preciso de harmonia. e harmonia é algo bem mais complexo e dinâmico.

pois estou em uma encruzilhada há meses. o nível de satisfação e a angústia existencial alcançaram iguais medidas e eu preciso fazer algo a respeito. mas o que? as possibilidades são múltiplas e cada uma apresenta seu emaranhado singular de satisfações e angústias. qual escolher? qual caminho será o mais interessante? qual vai me fazer crescer mais? qual me proporcionará as melhores doses de satisfação? as angústias que virão junto valerão a pena?

em uma encruzilhada todos os caminhos parecem incertos porque uma vez escolhida a rota é difícil voltar ao ponto inicial. em nosso caminho metafísico as encruzilhadas não são pontos fixos no mapa, mas circunstâncias que mudam conforme as decisões que tomamos. assim, tomar decisões é extremamente angustiante. pelo menos para mim sempre foi. eu sofro meses em torno delas. tenho crises de ansiedade, rumino, choro. penso que enlouqueci de vez, convenço-me do contrário, volto ao ponto anterior.

mas tomar decisões tem sua mágica própria. embora terrivelmente angustiante o processo, uma vez tomada a decisão de qual caminho tomar, tudo fica claro. renova-se o sangue nas veias, as pupilas se dilatam em expectativa, os dias ganham nova luz.

depois de meses taciturnos, eu decidi meu caminho. não será simples (quando foi?), não será fácil (alguém disse que seria?), mas será bom. eu nunca tive oportunidade de me arrepender dos caminhos que tomei.

2 responses to “Sobre estar em uma encruzilhada

  1. Lembro a história do beco , onde caminhar é perder-se sorrindo com compaixão pra si mesmo.

  2. Bela percepção.
    Parabéns
    Pax.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s